"A descoberta consiste em ver
o que todo mundo viu e pensar o que ninguém pensou." - A. Szent-Gyorgyi


codigo aqui

31/10/2011

Reaproveitamento de satélites: Bilhões de dólares em lixo espacial

O primeiro satélite lançado ao espaço pelo homem foi o Sputnik, uma esfera de pouco mais de 58 cm que pesava 83 kg. A função básica do satélite era transmitir um sinal de rádio, "bip", que podia ser sintonizado por qualquer radioamador. O projeto soviético de sucesso que entrou em órbita em 1957, caiu na Terra depois de seis meses em operação.

De 1957 até os dias atuais, centenas de outros, assim como o Sputnik, foram lançados. Além da órbita baixa da Terra, estão em Mercúrio, Marte, Saturno e nos limites do sistema solar. São nossos olhos e ouvidos na exploração espacial.

Artigos relacionados:

Mais sobre o Sputnik - Confira:


Depois de 54 anos, a órbita terrestre não é mais a mesma. Em 2009 a estimativa mostrava cerca de 6 mil satélites já colocados em órbita - e um número dez vezes maior de destroços - colocando em risco os tripulantes da Estação Espacial Internacional, a estação, e outros equipamentos ainda operantes na órbita da Terra - Confira:


Há pelo menos US$ 300 bilhões em peças na órbita da Terra, muitas delas em perfeito estado para o reaproveitamento. O trabalho de desenvolvimento de tecnologias que permitam a reciclagem desse material é da Agência de Projetos de Pesquisa Avançados de Defesa (Darpa, na sigla em inglês).

Com o sucesso do programa, lixo espacial se transformaria em rescurso espacial. A tecnologia disponível hoje impossibilita o recolhimento desse lixo bilionário para o seu reaproveitamento.