"A descoberta consiste em ver
o que todo mundo viu e pensar o que ninguém pensou." - A. Szent-Gyorgyi


12/10/2012

Nasa testa dobra espacial para alcançar o espaço exterior

A ficção científica é recheada de aventuras em mundos estranhos, nos confins do universo. Naves espaciais como a Enterprise, em Star Trek, alcançam sistemas planetários em fração de minutos, com um conceito teórico conhecido como Dobra espacial.

Com a tecnologia atual, a maior distância já alcançada por uma sonda espacial foi os limites do Sistema Solar, pela Voyager 1, em missão desde 1977. 

Os sinais da sonda demoram dezessete horas para chegar à Terra, e seriam necessários mais 75 mil anos para que a Voyager alcançasse a próxima estrela.

A tecnologia capaz de mudar essa difícil realidade, iniciando uma nova era na exploração espacial, começa a ganhar forma nos laboratórios da Nasa. 

Artigos relacionados:
Recentemente cientistas da Nasa concluíram que a resposta para percorrer grandes distâncias não está na velocidade, mas em dobrar o espaço-tempo para aproximar corpos celestes. Cientistas da agência começam a testar a teoria em laboratório.

Documentário - Como explorar o universo - Dobra espacial - Confira:


A notícia saiu na Veja do dia 10 de outubro, página 130 e 131. A imagem abaixo é uma digitalização explicativa, de como a teoria será testada - Confira:

Para conquistar o espaço exterior a velocidade da luz é pouco, é preciso usar um atalho teórico: a dobra no espaço tempo [imagem abaixo]

A ideia é contrair o espaço na frente, como se fosse uma onda do mar. Assim, aproximaria planetas distantes, impulsionando a nave em direção a eles.

Uma correção nos cálculos mudou a ideia de que para criar uma dobra no espaço-tempo seria preciso uma energia equivalente à massa de Júpiter. Novos cálculos indicam que basta a energia contida em um objeto do tamanho de uma sonda espacial de 750 quilos para colocar em prática a ficção.