"A descoberta consiste em ver
o que todo mundo viu e pensar o que ninguém pensou." - A. Szent-Gyorgyi


13/11/2011

Projetos visam a colonização do espaço

No século passado o homem deu o primeiro passo para a exploração espacial, enviando astronautas ao espaço e conduzindo pesquisas para romper fronteiras. Ficava claro que o nosso destino era explorar o universo.

Vivendo em um sistema solar de bilhões de quilômetros, e nenhum traço evidente de formas de vida além da Terra, buscamos conhecer o imenso desconhecido que nos cerca.

Em cinco décadas de exploração, sondas não-tripuladas coletaram dados que nos deram a importante chance de desenvolver novas tecnologias para as próximas missões. Hoje o futuro da exploração espacial se mostra na permanência no espaço.

Artigos relacionados:
Em 1998 um esforço conjunto de dezesseis países colocou em órbita a Estação Espacial Internacional (ISS), uma habitação espacial considerada a mais avançada plataforma de pesquisa espacial já construída, e por si só, uma nova era na astronáutica.

Enquanto a maioria tende a pensar que as primeiras colônias espaciais humanas serão em Marte ou na Lua, o que mudaria a forma de viajar pelo universo, agências espaciais investem primeiramente em habitações em órbita terrestre, assim como a ISS e a chinesa Tiangong 1 - [Link]

Conheça a ISS - Confira:


Duas décadas antes do lançamento da ISS, Gerard O'Neill projetou duas habitações espaciais. O Stanford torus, estrutura em forma de anel com 1,8km de diâmetro, e mais tarde, a Esfera Bernal, com 1,6km. Os dois projetos são especulações por parte da NASA de como seriam colônias humanas no espaço no futuro.

Vídeo - Esfera Bernal
Imagens - Stanford torus

Os projetos visam verdadeiras cidades no espaço. Algo com capacidade estimada entre 10 e 30 mil pessoas vivendo permanentemente em órbita. A tecnologia necessária já existe, porém, para executar um projeto dessas dimensões, um país não poderia arcar sozinho com os custos. Se trata de um esforço mundial   - Confira:
video